Porque Não És Um Guitarrista Melhor?

de Tom Hess


Se fores como a maioria das pessoas, desejas tornar-te num guitarrista melhor. Através da minha experiência de aprendizagem, e por já ter ensinado mais de 1000 estudantes, aprendi muito sobre este assunto. Frequentemente, os estudantes perguntam porque não estão ao nível que eles desejam estar, e o que pode ser feito quanto a isto. Eu fiz-me esta mesma pergunta muitas vezes e durante anos. Muito tempo passou antes que eu começasse a entender as respostas. Como tu provavelmente fizeste, li muitas entrevistas de grandes guitarristas e artigos escritos por alguns destes. Muitas vezes achei frustrante sempre que o assunto sobre aprender a tocar guitarra surgia ou quando era oferecido algum conselho para melhorar o tocar de guitarra da pessoa. Com um pequeno número de excepções, muito pouco tempo e espaço eram oferecidos sobre este tópico. Não é incomum ver o conselho resumido a três palavras: Treina! Treina!! Treina!!! Bem, claro que todos nós sabemos que treinar é o ingrediente principal. Mas, raramente é-nos dito muito mais do que isso. Percorrendo o meu longo caminho para me tornar num excelente guitarrista e ajudar os meus estudantes a fazer o mesmo, tomei nota, cuidadosamente, do que funcionava e do que não funcionava; tomei nota das partes necessárias da sabedoria convencional e que partes (pelo menos na minha opinião) não necessárias. Eu acredito que os vinte conceitos que provaram trazer grandes resultados a quem os usa são:

1. Educa-te! Não importa em que nível estás hoje. Tu podes e devias estar aprendendo mais. Se actualmente estás estudando com um professor, ou te matriculaste num programa de música de uma escola secundária, faculdade ou universidade, estás no caminho certo. Se não estás fazendo isto, ou se sentes que o teu actual professor de guitarra não te está ajudando o suficiente para alcançares as tuas metas musicais, recomendo que procures um novo professor de guitarra. (Faz o download GRÁTIS do guia: Como Escolher um Professor de Guitarra) Eu não posso dar a ênfase suficiente em quão importante é encontrar o professor de guitarra certo para ti! O teu professor de guitarra (ou programa musical) deveria ser sempre Objectivamente Orientado. Se não o é, procura outro professor ou escola para estudares! Não precisas de um professor para simplesmente dar-te informação ou coisas para treinar - podes adquirir essas coisas em qualquer lugar; o que precisa é de um professor que:

A. Saiba quais são os teus objectivos.
B. Se importe em ajudar-te a alcançares os teus objectivos.
C. Saiba como ajudar-te a alcançar os teus objectivos.

2. Ouve mais música. Encontra mais músicas do tipo que gostas. Há muita música por aí fora que ainda não ouviste. Eu tenho a certeza que podes encontrar algo que realmente gostes e que te inspire. Procura na Internet, se não consegues encontrar nas rádios. Vê as rádios da Internet ― podes personalizar o que ouves baseado nas tuas preferências, é uma grande ferramenta! Vê sites da Web que sabes que têm muita música do estilo que gostas.

3. Transforma as tuas frustrações musicais em recursos, na forma de uma força motivadora. Eu escrevi um artigo chamado Frustração Musical. Não quero repetir aqui tudo o que eu escrevi naquele artigo. Lê-o, se ainda não o fizeste. Se já o leste, pode valer a pena lê-lo agora novamente.

4. Acredita em ti. Provavelmente já ouviste esta frase muitas vezes. É triste a quantidade de pessoas que recusam investir as suas convicções em si próprias. Eu escrevi um artigo sobre Perseverança, que trata, indirectamente, o acreditar em si. Por favor, lê-o, se tiveres problemas em acreditar que podes alcançar as tuas metas.

5. Compreende que tornar-se num melhor guitarrista significa tornar-se num melhor músico também. Ao desenvolveres as tuas habilidades musicais, certifica-te que pensas além das habilidades que são específicas da guitarra. Claro, que estarás trabalhando em muitas habilidades de guitarra: várias técnicas de guitarra, acordes, escalas, solos, etc., mas não negligencies as outras habilidades que não são específicas da guitarra como: treino de ouvido (também chamado habilidades auditivas), escrita de canções, improviso, criatividade, ler, teoria musical, etc.

6. Rodeia-te de guitarristas melhores (ou pelo menos com os que estão ao teu nível). Quando começaste a tocar guitarra, toda a gente era melhor do que tu, mas agora cresceste e há menos pessoas melhores do que tu do que antes havia. Quanto melhor ficas, mais difícil será encontrar outros que sejam superiores a ti para socializares ou tocares. Mas, não importa quão bom tu ficas, haverá sempre algo que possas aprender com outra pessoa. Procura essas pessoas, conhece-as, toca com elas, discute música e guitarra com elas. Está disposto a dar tanto (ou mais) do que queres receber. Se fores bastante afortunado, por estares acima do nível dos outros guitarristas da tua área, procura grandes baixistas, pianistas, violinistas, bateristas, etc. Podes aprender com eles também (mesmo que não sejas melhor do que os teus amigos guitarristas, procura músicos que toquem bem outros instrumentos).

7. Descobre o que te inspira e embebe-te disso. Para mim, ir a concertos para ver grandes guitarristas ou bandas inspira-me para treinar mais. Ouvir grandes cantores inspira-me a refinar o meu vibrato e fraseado. Ouvir e estudar a música de grandes compositores clássicos inspirara-me a estudar composição de música. Eu queria escrever música muito boa. Assistir ao filme Guerras das Estrelas quando eu era uma criança, e ler o Senhor dos Anéis, etc., inspirou-me também. Há muitas coisas não musicais que me têm inspirado. As minhas maiores fontes de inspiração foram as minhas experiências de vida e o que tenho dentro de mim. O desejo de expressar isso era (e ainda é) um desejo ardente constante e uma força poderosa que impulsiona o meu desejo de melhorar mais. Sabes o que verdadeiramente te inspira? Procura-o, rodeia-te e embebe-te disto.

8. Define o teu propósito. Qual é o teu propósito definitivo? Sabes realmente qual é? Se eu estivesse á tua frente agora mesmo e te fizesse esta pergunta, conseguias dar-me respostas específicas e explicações? Consegues, escrever isto em papel em termos específicos? Isto é essencial para estabelecer objectivos, planejar estratégias e monitorizar os resultados, etc.

Quando todos os inimigos do progresso começarem a rastejem para dentro da tua mente, precisarás trazer o teu propósito definido à vanguarda do teu pensamento. Eu vi procrastinação, medo de fracasso, dúvida pessoal, falta de motivação, retrocessos temporários e outras coisas negativas fazerem pessoas com um grande potencial pararem. Sabendo qual é o teu propósito definitivo e lembrares-te dele quando um pensamento negativo entra na tua mente te ajudará a superar isto.

9. Define, exactamente, a razão por que o teu propósito existe na tua mente. Eu escolho listar isto à parte de definir o teu propósito, porque eu não queria que deixasses o porquê perder-se no acto de definir. Confia em mim, isto é importante.

10. Cria uma estratégia! Tu precisas de ter uma estratégia que irá expor exactamente como vais alcançar as tuas metas. Só sonhar não te levará a lugar nenhum. Dizeres-te que vais tocar a tua guitarra todos os dias não é suficiente. É preciso muito mais para se ser um excelente guitarrista do que simplesmente tocar a tua guitarra. No final de contas, deverias trabalhar ao contrário. Define os teus objectivos finais (em papel), depois faz um grupo de objectivos de curto e médio prazo. Pensa em alcançar os teus objectivos como se tratasse de uma corrida de alternância, não como uma maratona. Cada objectivo de curto e médio termo é o fim de um segmento do teu plano e o começo do próximo segmento (como uma corrida de alternância.) Há muitos benefícios em olhar para coisas deste modo, como descobrirás à tua maneira e por ti próprio.

Se souberes, claramente, quais são os teus objectivos finais, podes fazer isto por ti próprio. Mas, se precisares de ajuda para planejar os teus objectivos de curto e médio termo e para planejares a tua estratégia, consulta um professor em quem confies e que acredites te possa ajudar nisto - vale a pena, acredita em mim. Se não consegues encontrar um professor que possa fazer isto por ti, paga a alguém (sim, eu disse paga) para te ajudar a desenvolver um plano específico. A melhor pessoa para fazeres uma aproximação sobre isto é alguém que já esteja fazendo o que tu queres estar a fazer.

Lembra-te que não há problema em sonhar acordado e fantasiar sobre onde estás planejando ir, mas não pode parar por aí. Não desejes sem planejar! Não sonhes sem fazer! Tem uma estratégia sempre, mas sempre. Podes precisar de rever certos aspectos da tua estratégia com o passar do tempo e isto está bem, mas não tentes avançar sem uma se quiseres o máximo de resultados no menor tempo possível. Nos meus primeiros tempos de aprendizagem de guitarra, eu desperdicei muito tempo a desejar ser melhor sem ter uma pista sobre como planejar isto. Claro, eu treinei muito, mas sem direcção e sem um caminho eficiente a seguir. A maior parte substancial do meu progresso como músico só veio depois de eu desenvolver uma estratégia e trabalhar com ela. Se te estás perguntando porque eu não dei uma explicação detalhada sobre as estratégias que eu usei no passado, é porque seria insensato eu falar-te sobre qual era a minha estratégia, por ser específica às minhas metas. O mais certo é que as tuas metas possam diferir muito das minhas, e de maneiras muito diferentes. Por esta razão é que precisas da tua própria estratégia para as tuas metas pessoais. Um último conselho antes de nós avançarmos: escreve tudo em papel e lê o que escreveste todos os dias! Vai manter-te focalizado no alvo.

11. Imagina-te a ter as habilidades que desejas. Foca-te nisto e concentra-te. Convence-te que podes fazer isto. Convence-te que já estás a caminho de alcançares a tua primeira meta – porque estás. É mais fácil manifestar os teus desejos quando puderes imaginar-te em posse disto. Mantém sempre uma atitude mental positiva.

12. Define o que planeias fazer com as tuas habilidades musicais, uma vez que as tenhas. Se planeias libertar o teu próprio CD ou ganhar dinheiro com a música, aprende e estuda negócio de música agora mesmo! O modo mais rápido para fazer isto é ter lições sobre o mundo empresarial da música numa faculdade ou ter lições privadas de um profissional (ou pelo menos de um guitarrista semi-profissional). Sim, podes ter lições nisto como tens para aprender guitarra, escrever canções, etc. Não esperes até seres um grande guitarrista para começares na aprendizagem sobre este negócio! Não te posso dizer quantos guitarristas cometem este erro (eu próprio o cometi no princípio e tenho estudado isto intensamente durante os últimos anos para pôr a minha carreira onde ela está hoje).

13. Descobre como os teus guitarristas favoritos alcançaram as suas metas. Muitas vezes isto é difícil de conseguir já que nem sempre podes sentar-te e falar com os músicos muito famosos. Mas, existem entrevistas, como também algumas biografias de alguns músicos (especialmente dos mortos). Apesar do facto que muitos dos músicos bem sucedidos não falam muito sobre isto, podes encontrar alguns que o fazem. Acredita, para se ser bem sucedido é preciso muito mais do que treinar e ter sorte! Lembra-te que as estratégias deles não vão, necessariamente, funcionar para ti porque os seus objectivos podiam ser diferentes dos teus. Ainda assim, podes aprender alguma coisa.

14. Não te compares com outros. De qualquer maneira, não há nenhuma necessidade para fazer isto. A Música não devia ser como um desporto competitivo entre pessoas, só dentro de cada um. Compara-te só em relação a onde estás na tua estratégia! Estás no caminho para alcançares os teus próximos objectivos de curto e médio prazo para chegares à tua meta final? Estás no horário, a tua estratégia precisa ser revista?

15. Certifica-te que treinas eficazmente. Sabes, na realidade, como treinar guitarra? Focas-te em fixar objectivos diários e semanais, e depois treinas de uma tal maneira que vais estar a trabalhar para atingir estes objectivos? Estas são perguntas que deverias fazer-te. Os dois maiores erros de treino que eu vi os estudantes cometerem (além de não treinar o suficiente) foram:

A. Treinar sem orientação de objectivos.
B. Não compreender a diferença entre treinar na sua guitarra e tocar na sua guitarra.

Se estás a ter alguma dificuldade em treinar, fala com o teu professor. Ele/ ela deve ser capaz de te ajudar.
   
16. Toca com outros numa banda ou nalgum tipo de conjunto. É importante para se ter a experiência de tocar com outros. Pode ser numa banda ou em alguma outra colocação de conjunto. Formal ou informal. A coisa principal é fazê-lo (pelo menos uma vez por mês). Há algumas coisas que, por completo, tu não podes treinar sozinho. Além do facto de que isto pode ser realmente divertido, também te ajudará a superar o medo do palco se o tiveres.

17. Mede o teu progresso. Documenta o teu tempo de treino. Mantém um registo do quanto treinas em cada dia. Para as coisas técnicas usa um metrónomo, para veres quão rápido consegues tocar limpo, uma escala em particular, exercício, excerto, arpeggio, etc. Escreve os resultados, treina tudo durante a semana e vê se consegues tocar o que treinaste a uma ou duas batidas por minuto mais rápido do que a semana antes (ou mês). Mantém um registo de todas as coisas técnicas nas quais estás trabalhando actualmente. Verás claramente se estás progredindo e a que taxa. Para outros itens que não são tão facilmente registados com um metrónomo, papel ou lápis, grava-te em filme ou no teu computador a cada semana. Mantém as gravações por muito tempo. Ouve-as passado um 1 mês, 3 meses, 6 meses, 1 ano, 2 anos, 3 anos, etc. Ouve o quanto cresceste.

18. Não vanglories as tuas forças ignorando as tuas fraquezas. Não é necessário ser capaz de tocar todos os estilos de música ou todas as técnicas para ser um bom guitarrista, mas certos aspectos são universais como: técnica, treino de ouvido, conhecimento de teoria, criatividade, improviso, etc. Alguns estilos musicais dependerão mais de certos aspectos do que outros; mesmo assim é importante estar equilibrado. Se fores um guitarrista de heavy metal, talvez a leitura visual de música não seja uma alta prioridade na tua lista, como será a técnica. Igualmente, um guitarrista estritamente clássico não fará muito uso do improviso (infelizmente). Mas tem a certeza que não evitas as fraquezas às quais deverias prestar atenção porque, se o fizeres, vais arrepender-te, mais cedo ou mais tarde.

19. Disciplina-te. Ao contrário de um desporto, não tens um treinador para trabalhar contigo a todo o tempo. Não está lá ninguém que se certifique de que estás treinando da maneira que precisas, quando precisas e com que frequência precisas. Tu precisas depender de ti. Se esta não for uma parte normal da tua personalidade, felizmente há ajuda para ti. Só tu te podes parar o adiamento. Toma a iniciativa de avançar.

20. Nunca desistas! Nunca digas “não pode”. Nunca digas “eu não posso”. Nunca digas “algum dia”. Nunca diga “e se”. Se o teu Q.I. é mais alto que a temperatura do quarto, se tens todos os teus dedos e se realmente quiseres ter sucesso, tu podes.

Parece-me estranho haver suposições incorrectas e ensinos sobre tornar-se um guitarrista melhor. Aqui estão algumas coisas que, frequentemente, não são verdade.

A. Deverias ser um guitarrista multi-facetado e aprender muitos estilos diferentes de música para te tornares num bom guitarrista. Esta é uma das declarações mais ridículas que eu alguma vez ouvi sobre o assunto. Segovia (o mestre do violão clássico) não era multi-facetado - ele não desperdiçou o seu tempo para dominar jazz ou bluegrass, por exemplo.  Yngwie Malmsteen não estudou intensamente jazz guitar. A maioria dos grandes guitarristas de jazz não estuda violão clássico, ou heavy metal. Stevie Ray Vaughn nunca aprendeu a tocar fusion ou metal. Os grandes guitarristas de country normalmente não estudam Rock Progressivo. Claro que há exemplos de guitarristas que aprendem e tocam em mais do que um ou dois estilos, mas a maioria dos realmente grandes guitarristas são conhecidos pelo estilo no qual eles se focaram. Eles são mestres do seu estilo,  são especialistas, não são tipo pau para toda obra. Não ouças as pessoas que dizem algo como: "Tens que aprender blues antes de poderes aprender metal ou violão clássico." Não tens que ser multi-facetado.

Alguém precisa de aprender muitos estilos diferentes de música apenas quando os seus objectivos assim o requererem. Se na realidade amas muitos estilos e queres aprendê-los todos, então prossegue e faz isso. Se quiseres ser músico de estúdio, ou um contratado, então vais precisar daquela versatilidade. É realmente muito difícil ser bom em muitos estilos.

B. Devias ser capaz de tocar todas as técnicas de guitarra. Van Halen fez tapping mas não com todos os seus dedos como outros fazem. Ele não tocava muito o estilo dedilhado, mas nós ainda o consideramos como um guitarrista importante. A mesma coisa pode ser dita sobre Vai e muitos outros. O mestre do violão clássico, John Williams, provavelmente não toca bem com uma palheta de guitarra (eu assumo que isto seja verdade e tenho nenhuma prova disto), mas, hoje, ele é considerado um dos maiores guitarristas clássicos vivos. Habilidades como o improviso, escrita de canções e tocar com uma palheta não vão estar na sua lista de habilidades a adquirir. Isto porque os guitarristas clássicos, geralmente, não fazem essas coisas - e não precisam ser bons nisto. Estes músicos são grandes guitarristas no seu próprio modo e eles passaram muitos anos a desenvolver as habilidades que têm. Aprender tudo sobre tocar guitarra teria tirado precioso tempo de treino às coisas em que eles precisavam focar-se para alcançarem as suas metas.

C. Ensinar-se a si próprio é a melhor maneira para se ser original. Isto é tão obviamente falso que é difícil de acreditar que qualquer um possa crer nisto – contudo, algumas pessoas ainda o fazem. Não caias na armadilha de pensar que isto é o melhor modo de aprender. Esta é a filosofia mais mentalmente fechada em que eu possa pensar. As habilidades musicais são ferramentas. A pessoa deveria querer obter e dominar tantas ferramentas quanto necessárias para alcançar os seus objectivos. Fazer só isto não funcionará bem e, mesmo que evf^)entualmente funcione, levará 10 vezes mais tempo! Além disto, como saberás se o que estás tentando fazer é original, se não aprendes sobre o que já foi feito?

D. Ser grande significa que tenho que ser melhor que toda a gente. Nós já falámos nisto acima, mas vale a pena mencioná-lo aqui novamente. O que interessa é alcançares os teus objectivos, não os de outra pessoa. Quem se preocupa se tu és ou não és melhor que outra pessoa? Isto não é os Jogos Olímpicos. A música é a arte da expressão (ou como para algumas pessoas, a ciência de entretenimento).

E. Precisas de talento natural para ser um grande (ou até mesmo um bom) músico. Não acredites nisto. É verdade que algumas pessoas possuem habilidades naturais numa ou noutra coisa. Por exemplo, alguns atletas são corredores naturalmente rápidos. Outros são grandes corredores de maratona. Outros podem nadar mais rapidamente ou por muito tempo. Outros podem saltar mais alto. Outros são mais fortes. Outros são mais inteligentes. Outros têm reflexos mais rápidos. Outros podem lançar melhor no futebol americano. Outros podem lançar melhor no basquetebol, etc. O ponto é que os atletas com grandes habilidades normalmente as têm numa área. Por exemplo, Michael Jordan (discutivelmente o melhor jogador de basquetebol do mundo de todos os tempos) não teve muito êxito quando tentou jogar baseball (ou golfe quanto ao assunto). Pensa nos atletas dos Jogos Olímpicos: eles são especialistas. Eles encontraram a sua habilidade natural e desenvolveram-na ao seu máximo potencial, mas esta habilidade natural, normalmente, é limitada a uma só.

A música é muito diferente de uma habilidade ou de um desporto. Não existe tal coisa como habilidade musical. Só existe um grande conjunto de habilidades musicais. Pensa em alguns dos tipos muito diferentes de habilidades que um músico preciso ter: um ouvido altamente desenvolvido; boa técnica física no seu instrumento; alta criatividade; habilidade para improvisar bem; habilidade de escrever canções/ compor; habilidade para tocar dentro do tempo; habilidade para tocar com outros; compreensão de teoria de música; boa memória; habilidade para ler música, etc. A lista continua sem parar. Alguns músicos têm uma habilidade natural para tocar rápido, alguns têm um ouvido naturalmente bom, alguns têm boas vozes, alguns são naturalmente mais criativos que outros, alguns são os improvisadores naturais, etc. Ninguém tem talento natural em todas as áreas necessárias para ser um músico completo.

Pensa nos mestres da música. É provável que Mozart fosse naturalmente talentoso em apenas três destas áreas: habilidade técnica, grande ouvido (frequência perfeita) e uma grande memória musical. Mas ele teve que trabalhar arduamente em todas as outras áreas da música como toda a gente.

A habilidade natural de Chopin era a sua habilidade para improvisar. Ele era o mestre, mas trabalhou muito para se tornar no pianista virtuoso que viria a ser posteriormente. Chopin também era o mestre das formas pequenas, mas tinha problemas com formas de grandes escalas.

É provável que Beethoven tenha levado muito tempo a descobrir em si alguma habilidade natural. Ele não compôs muito até à volta dos 30 anos de idade! Ele não era um prodígio desde criança como foram Mozart e Chopin. Claro que Beethoven era um mestre, mas não usufruiu dos frutos de qualquer talento natural. Ele editava e reeditava constantemente os seus trabalhos, tentando aperfeiçoá-los. Mozart, em comparação, muito raramente editava qualquer coisa que escrevesse.

Cada um de nós tem, a algum nível, alguma habilidade natural. Tu podes saber já qual é a tua ou podes ainda não a ter descoberto. Se ser um músico melhor não está sendo fácil para ti, isto simplesmente significa que és como o resto de nós.

No jogo de alcançares os teus objectivos só existem dois jogadores... tu e o tempo.


Gain effective strategies to overcome your guitar playing problems with effective online guitar lessons.

Forward this article to your friends

© 2002-2017 Tom Hess Music Corporation