Uma Análise Sobre “Não Prestar”

de Tom Hess


Eu recebi o seguinte e-mail de um jovem guitarrista há cerca de 9 ou 10 meses……

"Um amigo e eu começámos a tocar guitarra ao mesmo tempo, no mesmo dia e tudo. Ambos treinamos mais ou menos o mesmo período de tempo, mas ele já está muito melhor do que eu. O seu tocar está ficando melhor e melhor, num ritmo mais rápido. O meu está ficando para trás. Eu faço pequenas melhorias, no entanto, eu fico frequentemente frustrado, porque eu tento tanto quanto ele. Às vezes pergunto-me, se ele é apenas mais talentoso do que eu. Para atingir a sua taxa de crescimento eu teria que treinar 10 horas por dia, quando ele só precisa de uma hora. Eu não posso dedicar 10 horas por dia, que posso eu fazer? Resumindo - Eu ainda NÃO PRESTO após três anos e meio de tocar de seis a sete dias por semana!"

Eu conheço ambos os guitarristas, e posso verificar que o progresso do amigo foi mais significativo do que o do autor do e-mail acima. E tudo escrito no e-mail foi basicamente verdade (no momento em que foi escrito). Eu dei-lhe dois principais conselhos:

  1. NÃO te compares com o teu amigo. Não deixes o teu amigo (ou alguém) definir um padrão ao qual possas aspirar. Uma pessoa deve ter fixo na sua mente a visão do tipo de guitarrista que se quer tornar. De um modo geral, não queres que o teu "vizinho" seja a definição da tua ideal "visão" a longo termo. Se eu pudesse magicamente retirar as habilidades do teu amigo, ias-te sentir melhor contigo próprio, simplesmente porque ele não era tão bom quanto tu? Tem em mente que as tuas habilidades seriam as mesmas que agora, a única diferença, é que as habilidades do teu amigo foram levadas ou diminuídas. A tua atitude sobre o teu próprio progresso, deve ser completamente centrada, em torno de onde estás no caminho para realizares os teus objectivos.
  2. Depois de reconciliares os teus pensamentos com a primeira parte do conselho, estás pronto para a segunda. Em geral, os maiores guitarristas não são grandes, porque eram naturalmente talentosos. Em todos os casos, os guitarristas verdadeiramente grandes, tornam-se grandes (e fazem um grande progresso em períodos relativamente curtos de tempo), porque os seus hábitos de treino são eficazes. Vês, eles não só colocam tempo e esforço como tu fazes, como o tempo e o esforço é concentrado e eficaz. Parece que os teus hábitos de treino não têm sido eficazes. Eu não acredito que tu não tens o potencial necessário para fazer progressos significativos. Tu simplesmente, não estás sendo eficaz. Pareces acreditar que “NÃO PODES”. Eu proponho que tu podes, mas que simplesmente "NÃO TENS". Certamente estás tentando, mas os esforços estão dando poucos frutos...

...Eu continuei contando-lhe a história de como eu geralmente abordo o aumento da eficácia de treino quando se trabalha num desafio específico (que todos os guitarristas, em algum momento terão de enfrentar), lê a seguir. Existem muitas razões pelas quais alguns guitarristas fazem menos progresso médio, enquanto gastam uma quantidade razoável de tempo praticando. Porém na maioria dos casos, o problema, é quase sempre o mesmo.

Eu suspeitava que a sua falta de progresso, devia-se a abordagens e hábitos de treino ineficientes. Ele pensou que tempo igual gasto, deveria ter trazido resultados iguais. Mas isso é uma falácia, um mito. O tempo é como uma estrada. E há montes de diferentes tipos de estradas, tais como: estradas de terra, estradas de cascalho, estradas de tijolo, estradas de cimento, estradas de alcatrão, e as pistas de automobilismo (estradas). O amigo dele conduziu (treinou) numa estrada de alta qualidade, que permite que o carro (a sua guitarra) se movimente num ritmo mais rápido. O autor do e-mail foi numa estrada de cascalho solto, e cheia de buracos. A má qualidade da estrada é semelhante à má qualidade de hábitos de treino. Pobres hábitos de treino colocam alguém numa estrada má, e portanto, o progresso vai ser difícil e lento. Treino eficaz irá colocar-te numa pista de corrida, onde há tracção máxima, e existem condições para permitir que haja taxa máxima de progresso.

Uma vez tive um aluno novo (chamado Chris) que veio até mim, porque ele não conseguia tocar a Stairway to Heaven suavemente. Numa das nossas primeiras lições, pedi ao Chris para tocar para mim a (Stairway to Heaven) três vezes consecutivas. Cada vez que o Chris tocava o início da música, ele não conseguia fazer a mudança do acorde entre os acordes 3 e 4, dentro do tempo e limpo. Ele praticou a música durante meses, mas não conseguia chegar ao quarto acorde (D/F#) correctamente. Fiz-lhe algumas perguntas sobre como ele estava treinando, e então, pedi-lhe que "treinasse a música durante 15 minutos na minha frente, comigo apenas sentado em silêncio e a ouvir". Após os 15 minutos eu vi que o problema não era que o Chris não tinha potencial para tocar. Era evidente, que ele estava lutando com essa música por causa do uso ineficiente do seu tempo de treino. Eu observei vários pequenos problemas que ele fazia uma e outra vez, que lhe estavam criando obstáculos. Mas o maior problema não era a maneira como ele tentou tocar, estava na sua abordagem "para treiná-lo". Naqueles 15 minutos que ele treinou à minha frente, ele tocou toda a primeira secção da canção. O que significava que ele na verdade apenas "praticou" a parte mais difícil 21 vezes (sim, eu estava contando!). Então, passou os próximos 15 minutos a "isolar a área problemática", e apenas, focado nisso. Isso significava que ele não estava autorizado a treinar qualquer coisa que ele já conseguia fazer bem (que era o resto da secção da canção). Eu fiz com que ele se concentrasse apenas no acorde difícil, e mudança de posição. Ao longo dos 15 minutos, ele praticou este ponto (problema) 536 vezes! (Sim... como um totó, eu estava contando novamente!). Após os 15 minutos, ele ainda não conseguia tocar perfeitamente, mas um progresso significativo foi feito. Eu disse-lhe para treinar desta maneira 15 minutos por dia, nos próximos sete dias. Quando ele voltou para a sua próxima aula, eu pedi-lhe, para tocar toda a secção da música, e ele tocou perfeitamente o tempo todo.

O que mudou? Bem, na verdade ele treinou MENOS a canção (em termos de número de minutos por dia), mas ele praticou a área problemática mais de 3.500 vezes, num total de 1,75 horas durante a semana. O que aconteceu foi que ele saiu dos buracos da estrada de cascalho, e mudou-se para uma pista de corrida. Desde então, ele aprendeu a treinar todas as coisas extraordinariamente desafiantes dessa forma... e os resultados mostram-se de uma forma ampla. Há muitas razões para o enorme sucesso do Chris a longo prazo como músico, mas certamente a eficácia do treino, está perto do topo da lista. Chris tornou-se num guitarrista virtuoso, e músico profissional. Podes ouvir os resultados aqui.

Há muitas maneiras de melhorar a qualidade da tua eficácia de tempo de treino e, portanto, os teus resultados. Para começar, eu recomendo o seguinte:

  1. Antes de treinar, tem os teus objectivos em mente, e fá-los específicos. Não digas só: “eu vou treinar a Stairway to Heaven”. Diz: "Eu vou trabalhar especificamente na obtenção daquele F / D # só por 15 minutos", ou "eu vou treinar a 7 º e 8º medidas do solo de guitarra por 12 minutos ".
  2. Quando treinando pergunta-te SEMPRE se estás usando o teu tempo de treino da forma mais eficaz.
  3. Grava-te treinando, em vídeo, durante 30 minutos. Uma semana mais tarde, assiste a gravação do vídeo e pergunta-te: "Se eu fosse um professor a ver o treino de 30 minutos do estudante, o que poderia eu sugerir-lhe para melhorar a qualidade dos treinos que eu estou observando”? Em seguida, implementa estas sugestões na próxima vez que tu treinares.

Improve your guitar playing now, learn guitar online.

© 2002-2017 Tom Hess Music Corporation