Escrita De Canções – Parte 2

de Tom Hess


Neste artigo, eu expandi a lista de ideias para cada conceito. Antes de chegar ao que eu quero salientar, a maioria dessas ideias são estratégias para começar na composição/escrita de canções. Ou seja, esses conceitos (assim como a maioria das ideias listadas no Escrita De Canções - Parte 1), geralmente, são mais adequados ao começar o processo de composição de uma nova música. Eles também podem ser úteis no início de uma nova seção de uma canção. Dito isto, há outras ideias e técnicas que são geralmente mais eficazes para resolver os problemas de composição (como transições, modulações, economia, clímax, etc.), mas não se preocupem, estas coisas vos serão apresentadas mais tarde.

Começando Primeiro Com A Melodia

Depois de teres escrito uma melodia, começa a escrever os acordes em torno dela. Poderá ajudar-te a compor os acordes para a melodia se gravares a melodia primeiro, ouvindo-a enquanto escreves os acordes. Ok, depois de teres a tua nova progressão de acordes escrita, grava-a. Ouve só a gravação da progressão de acordes (sem a melodia). Usando a progressão de acordes que escreveste para a melodia original, usa a tua guitarra para improvisar / compor outra nova melodia para estes acordes. Compõe várias melodias diferentes. Às vezes a melodia original não pode ser usada na música porque uma, ou mais das novas melodias podem ser melhores do que a original. É sempre bom ter várias opções de escolha.

Se, depois de compores diversas melodias, a original ainda é a tua favorita, não aches que perdeste o teu tempo escrevendo novas melodias que não são tão boas. Muitas vezes, ainda poderás usar pelo menos uma delas com a original. Por exemplo, a tua melodia preferida pode ser usada para a melodia vocal, mas podes querer usar outra, como contra melodia, tocada noutro instrumento e sob a melodia vocal, ou podes usar a segunda como outra melodia vocal cantada por um/a vocalista de coro.

Outra opção é usar a melodia original como a primeira metade de uma melodia muito mais longa e, em seguida, usar uma das outras como a segunda metade. Neste caso, a segunda melodia serve como uma extensão da primeira e forma uma nova e maior melodia. Embora isso possa ser uma técnica muito útil produzindo resultados mais originais, raramente, funciona na perfeição, quando tentas da primeira vez combinar duas melodias para formar uma só. Provavelmente, terás que fazer pelo menos alguns pequenos ajustes (alterações), numa, ou em ambas as melodias, de modo a que elas se conectem de uma maneira coesa.

Uma variação da última ideia é usar as duas melodias diferentes na mesma secção da música, mas numa forma AB, ABA, ABBA, ABAB, ou alguma outra variação. É importante entender a diferença entre a ideia de seções separadas sob forma e o conceito de fazer uma única e maior melodia. A ideia de melodia longa tem uma estrutura simples na forma de "A" (que é apenas longa), versus "AB". Em ambos os casos estás usando as duas melodias uma após a outra, mas na ideia da melodia longa, a "A" (do parágrafo acima), normalmente precisas fazer alterações para que ambas as melodias se encaixem como "uma melodia contínua". A ideia, na forma "AB", não precisa ter o mesmo nível de coesão. Não se ligam. A versão "AB" tem duas partes distintas e podem ser reorganizadas em muitas combinações diferentes (AB, ABA, ABBA, ABAB, AABBA, etc.).

Mesmo que decidas ficar com a tua ideia original e deitar fora tudo o que foi sugerido aqui (às vezes isso também me acontece), o processo de passar por todas essas técnicas vai fazer-te crescer como compositor, por isso vale a pena o tempo e esforço que investires nisto.

Começando Primeiro Com Acordes

Tem paciência comigo, pois o próximo conjunto de ideias começa da mesma forma que o último, mas os benefícios e os resultados serão muito diferentes. Depois de teres escrito uma progressão de acordes de que gostas, escreve várias melodias diferentes para tocar por cima dos acordes. Depois de teres composto algumas melodias, grava cada uma delas sem os acordes. Se precisares, ouve outra vez as melodias gravadas e compõe progressões de acordes NOVAS, para cada melodia. Se escreveste cinco melodias para a progressão de acordes original, vais escrever 5 novas progressões de acordes (uma para cada melodia).

Como podes imaginar as mesmas variações e combinações que foram sugeridas acima, na parte, Começando com a melodia primeiro, podem ser aplicadas aqui. As mesmas ideias e variações podem ser usadas para a parte "Começando com acordes e melodia ao mesmo tempo" (discutido no Escrita de canções – Parte 1).

O interesse disto e dos exemplos acima, é manter-te a pensar sobre "desenvolver" as tuas ideias mais e mais, em vez, de ficares pela primeira ideia boa que tenhas. Muitas vezes, o processo de desenvolvimento das tuas ideias terá resultados muito superiores do que aqueles que terias ter conseguido sem ele. É claro que, às vezes, podes gostar mais das tuas ideias originais para a música atual, e usar as ideias mais recentes numa música totalmente diferente.

Se gostaste deste artigo, então estes outros também poderão ajudar-te.


Learn how to become a more expressive songwriter in these online guitar lessons.
 

© 2002-2017 Tom Hess Music Corporation